Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

No candomblé, quem é homem e quem não é?



Lemos, Kaio (Autor)

minorias sexuais, candomblé, identidade de gênero, transfobia, pessoas transgênero, LGBT


Sinopse

Esta obra apresenta tensões que se estabelecem entre costumes e tradições de matriz africana e as questões de gênero, que surgem através da presença de homens transexuais no meio dessa cosmovisão religiosa. Através da sua experiência, o autor mostra que existe a possibilidade de romper com essa percepção, produzindo uma fissura no tecido das normas, tendo seu gênero masculino reconhecido e podendo executar tarefas ou desempenhar papeis que antes eram realizados apenas por homens cisgêneros.

Metadado adicionado por Metanoia Editora em 04/11/2019

Encontrou alguma informação errada? Perguntar para a Metanoia Editora

ISBN relacionados

--


Metadados completos:

  • 9788594750761
  • Livro Impresso
  • No candomblé, quem é homem e quem não é?
  • --
  • 1 ª edição
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • Lemos, Kaio (Autor)
  • minorias sexuais, candomblé, identidade de gênero, transfobia, pessoas transgênero, LGBT
  • Humanidades
  • 303.325
  • SOC005000, SOC064000, SOC065000
  • 2019
  • 24/08/2019
  • Português
  • Brasil
  • --
  • Livre para todos os públicos
  • 16 x 23 x 0.7 cm
  • 0.218 kg
  • Brochura
  • 136 páginas
  • R$ 35,00
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9788594750761
  • MET0176
  • --

Sumário

Sumário
Introdução
Enití ó wá tó aiyé: aquele que veio experimentar o mundo

Capítulo 1
“Você não entra no candomblé. O candomblé que entra em você”
Nas fronteiras da liminaridade e/ou no limiar da liminaridade
Capítulo 2
“Sou do Candomblé e o candomblé é em mim”
interpretando símbolos através da etnografia

Capítulo 3
“O Orixá olha assim pela lente dele e diz: ele é homem!”
“O parteiro dessa energia”
o lugar do pertencimento e não-pertencimento nos rituais

Ojó tí ó yí ygbésí-àyè rè padà
o dia em que ele mudou seu estilo de vida


Capítulo 4
Quando sou igual, quando sou diferente e quando sou equidade:
práticas e experiências de homens trans no candomblé


Conclusão
Posfácio
Referências