Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

Bipolar



Vêncio, Eberth (Autor), Guimarães, José Carlos (Projeto gráfico), Guimarães, José Carlos (Capista)

crônicas, polêmicas, revista bula, humor, música, violência, sexualidade, atualidades


Sinopse

Os melhores textos de um dos mais engraçados, sensíveis e polêmicos cronistas da Revista Bula.

"Eu não teria um filho, não plantaria uma árvore, muito menos escreveria um livro: eu me desesperaria, sem reservas, com um mero pôr de sol. Um melro cantando sobre o muro também seria muito comovente. Eu voltaria a fumar em prol de um câncer que tivesse pressa. Eu aplicaria o golpe do vigário no capelão para escapar da extrema-unção. Eu tomaria um chope com o carrasco. Eu cortaria os meus cabelos com o afiador de guilhotinas. Eu teria um romance com a moça da dedetização. Eu faria de tudo pra morrer de amor. Eu preferiria mil vezes a insônia pra nunca mais ter que sonhar. Que eu fizesse isso - sonhar acordado - para intrigar a sentinela e ser conduzido a uma junta médica que me julgasse insano, indigno de uma bala sequer de fuzil, portanto, livre, um homem desimpedido para viver as suas maiores loucuras num manicômio judicial com vista para o mar."

Metadado adicionado por Editora e Livraria Caminhos em 06/12/2017

Encontrou alguma informação errada? Avise-nos

ISBN relacionados

--


Metadados completos:

  • 9788568071137
  • Livro Impresso
  • Bipolar
  • --
  • 1ª edição
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • Vêncio, Eberth (Autor), Guimarães, José Carlos (Projeto gráfico), Guimarães, José Carlos (Capista)
  • crônicas, polêmicas, revista bula, humor, música, violência, sexualidade, atualidades
  • Literatura nacional
  • FIC016000, HUM008000
  • 2017
  • 07/12/2017
  • Português
  • Brasil
  • --
  • Livre para todos os públicos
  • 15 x 22.5 x 0.8 cm
  • 0.25 kg
  • Brochura
  • 140 páginas
  • Disponível
  • R$ 42,00
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9788568071137
  • 9788568071137
  • --

Sumário

19 Pergunte ao Poe
21 99% da população mundial acredita em deus, mas duvida das estatísticas
24 Saiu pra fazer um cigarro e nunca mais voltou
28 Tire o seu sorriso do caminho que eu quero passar com o meu trator
31 Uma voz dentro da cabeça repetia: “bate”. Então, eu bati
35 Pule dentro dessa história e viaje comigo
39 Aconteceu na esquina da Pegasus com a Caralho-de-asas
42 Não importa o tamanho do regaço. Eu vou torcer pelo meteoro
45 Lista dos sonhos que nunca envelhecem
47 Não há nada mais amargo nesse mundo do que um homem que não acredita em nada
51 Amai-vos uns aos outros, mas só se for pra valer
54 Traumatismo craniano
57 Palavra, ferramenta do diabo
59 Nunca imaginei que isso pudesse acontecer comigo, até que um dia...
62 As promessas que eu faria pra ganhar seu coração
64 Que se dane. Vou ser feliz na chuva
68 Pretérito mais que imperfeito
72 Você tem medo de quê?
75 Estudar muito até ficar burro
79 Como assim: “divino e maravilhoso”?
81 Sosseguem. Meus dois canos fumegantes só atiram palavras
84 Enquanto a morte não vem, a gente se ocupa com ela
87 A mulher que queria conquistar o mundo
90 Poesia não enche barriga
93 Crescer faz mal à saúde dos sonhos
96 Só leia isso se não tiver mais nada pra fazer
100 Não sou essa Coca-Cola toda que vocês estão pensando
103 Os homens — esses, sim — deveriam lamber seus cães
105 Eu tento, mas a desesperança não morre
108 Eu não gosto de nada que o mundo gosta
111 Crises existenciais de origem duvidosa
113 Sempre que se sentir triste, sonhe
117 A felicidade é uma coisa foda
120 As fragrâncias de Florence
124 O amor quase sempre pode dar certo um dia
127 As melhores coisas a gente pode fazer na chuva
130 Os 10 mandamentos da politicagem brasileira
132 Em São Paulo, a cada dia, uma pessoa enlouquece
135 Vendem-se corações de lata para quem não se permite sair dos trilhos
137 É proibido ser feliz sozinho