Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

Invenção
de Arnaut e Raimbaut a Dante e Cavalcanti



Moreau, Filipe (Editor), Zanettini, Germana (Editor), Lima, Bruna (Editor), Campos, Augusto de (Tradutor), Girard, Marcelo (Projeto gráfico)

poesia provençal, literatura medieval, trovadores, augusto de campos, laranja original, invenção, dante alighieri, guido cavalcanti


Sinopse

Provença o soube

Nesta nova edição que vem a público graças ao empenho de Filipe Moreau e de sua equipe, passados quase vinte anos da primeira, publicada em 2003, procedemos a uma rigorosa revisão da obra, que apresenta sempre grandes dificuldades ao se confrontar com idioma tão secular como é o antigo provençal. Mas penso que o esforço vale a pena, diante da beleza da produção dos trovadores dos séculos XII e XIII, aqui representada pelos poetas-inventores Arnaut Daniel e Raimbaut d’Aurenga, da comunidade da Provença, terra da poesia, que lamentavelmente não sobreviveu à cruzada do Papa Inocêncio III e dos nobres do norte da França contra o catarismo, seita considerada herética pela Igreja Católica, sob cujos auspícios, perpetrou-se um dos mais hediondos crimes da Idade Média. Mas os notáveis trovadores, dentre os quais Arnaut Daniel, considerado “il miglior fabbro”, o maior artesão, o maior poeta inovador, por Dante, Petrarca e Pound, continuam novos e maravilhosos. Apesar dos parcos momentos que hoje são reservados à poesia, os provençais tiveram crescente repercussão em nossos meios literários, após as edições de Traduzir e trovar
(Editora Papyrus, 1968), Verso Reverso Controverso (Editora Perspectiva, 1979 e 2009) e Mais Provençais (1979 e 2009), a da Editora Noa Noa, do saudoso Cleber Teixeira, em 1982, e a da Companhia das Letras, ampliada, em 1987. Sua revelação chegou a suscitar expressivas respostas em áreas mais seletas do nosso cancioneiro, contando-se entre elas as intervenções do compositor Livio Tragtenberg e de sua irmã soprano lírico Lucila, e de vários intérpretes da música popular, Walter Franco, Adriana Calcanhotto, Cid Campos, Tiago Araripe, Vitor Ramil, Antonio Farinaci, Edvaldo Santana. Precursora a participação de Livio, Lucila, Tiago e Walter no programa A Fábrica do Som n. 28 – Especial, de 1983, da TV Cultura, apresentado ao vivo no Sesc Pompeia em São Paulo. Lucila interpretando a “Canção de amor cantar eu vim”, melodia original de Arnaut, acompanhada por Livio ao piano e Cristiano Mota na flauta baixo. E Tiago, “Fiz um poema sobre nada”, de Guilhem de Peitieu, música de Livio, também ao piano. Walter, criando um mantra para as duas linhas de Bernart de Ventadorn, “Si no us vei dompna don plus mi cal / Negus vezer mon bel pensar no val”, na minha versão “Se eu não vejo a mulher que eu mais desejo / Nada que eu vejo vale o que eu não vejo”. Hoje, para não falar dos LPs, os CDs são de mais difícil acesso. Apesar disso, servem de boa referência, enquanto as tecnologias não disponibilizem outros meios, sob pena de se apagar toda uma história viva da música, que, pouco visitada, não tem outras reservas de sobrevivência. No YouTube, enquanto existir, podem ser ouvidas algumas peças importantes citadas na Discografia – canções de Arnaut Daniel e Guilhem de Peitieu, entre outras tantas. E também as interpretações de alguns de nossos cantores, músicos e compositores. Esta edição conta com acréscimos e matérias menos conhecidas, como a transcrição do artigo “Bonito demais”, de Ana Cristina Cesar, sobre o livro Mais provençais publicado poucos meses antes da trágica morte da poeta, em 1983. Bibliografia e discografia foram, o quanto possível, atualizadas. E aditei uma nota esclarecedora sobre o manuscrito perdido de Pound, que se supunha conter suas recriações completas do “corpus” arnaldiano, tendo sido encontradas, afinal, traduções de 16 canções, com algumas variantes, dentre as que compõem o pequeno mas grandioso acervo do trovador. Assim, poderá o presente volume ser de interesse mesmo para aqueles que adquiriram a primeira edição, há muito esgotada.

“Provença o soube”, disse Ezra Pound. E quem quiser que o saiba também e respire o ar que vem da terra dos poetas.

Augusto de Campos

Metadado adicionado por Laranja Original em 22/04/2021

Encontrou alguma informação errada? Perguntar para a Laranja Original

ISBN relacionados

--


Metadados completos:

  • 9786586042153
  • Livro Impresso
  • Invenção
  • de Arnaut e Raimbaut a Dante e Cavalcanti
  • 2 ª edição
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • Moreau, Filipe (Editor), Zanettini, Germana (Editor), Lima, Bruna (Editor), Campos, Augusto de (Tradutor), Girard, Marcelo (Projeto gráfico)
  • poesia provençal, literatura medieval, trovadores, augusto de campos, laranja original, invenção, dante alighieri, guido cavalcanti
  • Literatura estrangeira
  • POE005030
  • 2021
  • 21/04/2021
  • Português
  • Brasil
  • --
  • Livre para todos os públicos
  • 16 x 23 x 2.5 cm
  • 0.45 kg
  • Brochura
  • 288 páginas
  • R$ 60,00
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9786586042153
  • 9786586042153
  • --

Áreas do selo: ArtesInfantojuvenilLiteratura estrangeiraLiteratura nacionalTeoria e crítica literária

A editora Laranja Original destaca-se pela publicação de poesia, mas traz em seu catálogo outros gêneros de ficção literária, traduções, trabalhos jornalísticos, acadêmicos, de artes plásticas, música, ilustração, fotografia – e já são mais de 20 títulos publicados. Cada projeto recebe extrema dedicação, com o investimento em equipes competentes para trabalhar os originais e lançar materiais de qualidade, em forma e conteúdo.

Saiba mais